terça-feira, 25 de agosto de 2015

Saiba mais sobre o óleo de coco


Olá!
 
Após tanta polêmica e discussão em cima desse assunto, resolvi fazer minhas próprias pesquisas e chegar às minhas próprias conclusões.
 
Coloco aqui alguns dos artigos que li e seus resumos.
 
Se você tem conhecimento de algum outro artigo que eu não citei nas referências, ou chegou a outras conclusões sobre o óleo de coco, por favor, deixe aqui nos comentários sua opinião, artigos, livros, etc, que terei o maior prazer em estudar mais sobre este assunto ;)
 
Fonte: Google


1- O óleo de coco extra virgem é mais saudável que o óleo de coco tradicional (devido a propriedades químicas e processo de fabricação).

2- Ácidos graxos saturados não estão relacionados com doenças cardiovasculares. As evidências negativas são fracas.

3 - O óleo de coco revelou-se eficiente para proporcionar benefícios para a saúde em termos de tratamentos para doenças cardiovasculares.

4 - Ingestão de óleo de coco não altera marcadores inflamatórios. Ou seja, não leva à inflamação.

5 - Em estudo coorte com 1839 mulheres, mostrou que a ingestão de óleo de coco está relacionada  com o aumento do HDL, trazendo benefícios à saúde. Não foi encontrado relação entre óleo de coco e aumento do LDL ou triglicérides.

6 - Já em estudo realizado com Coelhos, mostrou que o grupo que recebeu óleo de coco, desenvolveu distúrbios metabólicos, como hipertensão, resistência à insulina e aterosclerose. Porém, esse estudo foi feito em Coelhos.

Fonte: Google

7 - Outro estudo, mostrou que uma dieta rica em ácidos graxos saturados oferece grandes vantagens para a proteção contra o estresse oxidativo nas mitocôndrias cardíacas. Porém, esse estudo foi feito em ratos.

8 - Um estudo realizado com 40 mulheres que receberam suplementação de óleo de soja e óleo de coco, mostrou que o grupo que recebeu óleo de coco teve o HDL aumentado e circunferência da cintura foi reduzida. O grupo que recebeu óleo de soja teve o LDL aumentado e HDL diminuído. Isso mostrou que óleo de coco não leva à dislipidemia e pode levar à redução de gordura abdominal.
9 - Outro uso para o óleo de coco é na nutrição parenteral, em fórmulas nutricionais que auxiliam na redução de inflamações crônicas.
10- Outras funções do óleo de coco são os efeitos antioxidantes e anti-stress. Porém esse estudo foi feito em ratos.
11 - Em artigo de revisão, foi encontrado propriedades funcionais do coco e evidências de que este alimento auxilia no tratamento da obesidade, dislipidemia, resistência à insulina, hipertensão.
12 - Estudo realizado com ratos, mostrou que há um efeito cardioprotetor no consumo do óleo de coco, pois este reduz a pressão arterial e é antioxidante.
13 - Efeito hipolipemiante do óleo de coco extra virgem também foi encontrado em um estudo feito com ratos.
14 - Encontrei também um estudo onde hamsters alimentados com óleo de coco tiveram HDL menores, triglicérides e colesterol total maiores do que ratos que receberam óleo de palma.
Fonte: Google
 
Conclusão: A maioria dos estudos mostra resultados favoráveis ao consumo do óleo de coco extra virgem. Mesmo assim, creio que mais estudos em humanos são necessários. Enquanto isso, moderação é a chave. Experimente revezar os óleos utilizados em casa, assim não se enjoa do sabor, não fica caro, nem haverá problemas para a saúde.



Referências:


Virgin coconut oil and its potential cardioprotective effects. Babu AS1, Veluswamy SK, Arena R, Guazzi M, Lavie CJ. 2014 Nov;126(7):76-83. doi: 10.3810/pgm.2014.11.2835.

Effect of combination therapy of fatty acids, calcium, vitamin D and boron with regular physical activity on cardiovascular risk factors in rat. Naghii MR1, Darvishi P, Ebrahimpour Y, Ghanizadeh G, Mofid M, Hedayati M, Asgari AR. 2012;61(2):103-11.
Coconut oil is associated with a beneficial lipid profile in pre-menopausal women in the Philippines. Feranil AB1, Duazo PL, Kuzawa CW, Adair LS.
Asia Pac J Clin Nutr. 2011;20(2):190-5.

High-fat diet without excess calories induces metabolic disorders and enhances atherosclerosis in rabbits. Waqar AB1, Koike T, Yu Y, Inoue T, Aoki T, Liu E, Fan J.

Dietary fatty acids and oxidative stress in the heart mitochondria. Lemieux H1, Bulteau AL, Friguet B, Tardif JC, Blier PU. Mitochondrion. 2011 Jan;11(1):97-103. doi: 10.1016/j.mito.2010.07.014. Epub 2010 Aug 5.


Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity. Assunção ML1, Ferreira HS, dos Santos AF, Cabral CR Jr, Florêncio TM.  Lipids. 2009 Jul;44(7):593-601. doi: 10.1007/s11745-009-3306-6. Epub 2009 May 13.

The addition of medium-chain triglycerides to a purified fish oil-based diet alters inflammatory profiles in mice.  C
arlson SJ1, Nandivada P1, Chang MI1, Mitchell PD2, O'Loughlin A1, Cowan E1, Gura KM3, Nose V4, Bistrian BR5, Puder M6. Metabolism. 2015 Feb;64(2):274-82. doi: 10.1016/j.metabol.2014.10.005. Epub 2014 Oct 13.
Antistress and antioxidant effects of virgin coconut oil in vivo. Yeap SK1, Beh BK2, Ali NM3, Yusof HM3, Ho WY4, Koh SP5, Alitheen NB3, Long  Exp Ther Med. 2015 Jan;9(1):39-42. Epub 2014 Nov 3.
The role of dietary coconut for the prevention and treatment of Alzheimer's disease: potential mechanisms of action. Fernando WM1, Martins IJ1, Goozee KG1, Brennan CS2, Jayasena V3, Martins RN

Br J Nutr. 2015 Jul 14;114(1):1-14. doi: 10.1017/S0007114515001452. Epub 2015 May 22.
Cardioprotective effect of virgin coconut oil in heated palm oil diet-induced hypertensive rats.
Kamisah Y1, Periyah V, Lee KT, Noor-Izwan N, Nurul-Hamizah A, Nurul-Iman BS, Subermaniam K, Jaarin K, Azman A, Faizah O, Qodriyah HM Pharm Biol. 2015 Sep;53(9):1243-9. doi: 10.3109/13880209.2014.971383. Epub 2015 Apr 8.

Virgin coconut oil improves hepatic lipid metabolism in rats--compared with copra oil, olive oil and sunflower oil. Arunima S1, Rajamohan T. Indian J Exp Biol. 2012 Nov;50(11):802-9.
Different palm oil preparations reduce plasma cholesterol concentrations and aortic cholesterol accumulation compared to coconut oil in hypercholesterolemic hamsters. Wilson TA1, Nicolosi RJ, Kotyla T, Sundram K, Kritchevsky D
J. Nutr Biochem. 2005 Oct;16(10):633-40


Postar um comentário